Grenadina

Ingredientes

  • Suco de romã
  • Açúcar
  • Água de Rosas ou Água de Flor de Laranjeira

Preparo

  • Aqueça o suco de romã em banho-maria;
  • Adicione uma quantidade igual de açúcar;
  • Mexa a mistura até que o açúcar esteja totalmente dissolvido;
  • Deixe esfriar;
  • Adicione a Água de Rosas (ou de Flor de Laranjeira) na proporção aproximada de uma colher de chá para cada xícara dos ingredientes principais;
  • Armazene na geladeira

Dicas e Observações

  • Esse xarope é usado em vários “drinks” – como o Tequila Sunrise, por exemplo.
  • Não faça demais – a quantidade usada em drinks é bem pequena, se fizer muito pode estragar…
  • Água de Rosas (ou de Flor de Laranjeira) pode ser encontrada em loja de produtos árabes – esse ingrediente acrescenta um “toque” especial ao xarope. A medida sugerida pode ser alterada conforme o seu gosto – mas tome cuidado para que a Água não “abafe” o sabor da romã.
  • Se não encontrar a Água, experimente com um pouco de raspas de casca de limão (siciliano é o ideal). Adicione aos poucos e vá provando até que o sabor fique ao seu gosto – o objetivo é “temperar” o gosto doce do xarope;
  • Receita original (em inglês)

 

Caldos

Quando se fala em caldo, muita gente pensa nas famosas “caixinhas” – mas o natural é muito melhor. Os ingredientes são todos naturais, sem aditivos – principalmente o famoso glutamato, que acrescenta um bocado de sódio à sua dieta. Além disso, você pode ajustar o gosto à sua preferência, e ainda pode guardar para usar quando necessário.

Ingredientes

  • 2 litros de água
  • 1 cenoura média a grande, picada em rodelas
  • 1 tomate picado em gomos
  • 3 ou 4 talos de aipo picado em tamanho médio
  • 3 dentes de alho (abrir no meio e remover o miolo)
  • 2 colheres de sopa de sal
  • Opcional: Temperos a gosto
    • Louro
    • Salsa
    • Coentro
    • Sálvia
    • Tomilho
  • 1/2 kg de “base” – conforme o tipo de caldo:
    • Carne: qualquer carne com osso (a mais barata – podem ser só “pelancas”)
    • Frango: pés, pescoço, etc. Apenas tome cuidado com miúdos (moela, fígado…) – muita gente não gosta…
    • Para caldo de legumes – obviamente – este item não é necessário.

Preparo

  • Cozinhar por 1 hora em fogo baixo (apenas o suficiente para manter borbulhando)
  • Remover filtrando com uma peneira

Dicas

  • Cuidado para não exagerar nos “temperos a gosto”
    • Se o caldo for utilizado em um prato que já tem esses (ou outros) temperos, pode haver “conflito” ou “sobrecarga”…
    • Talvez seja melhor fazer alguns testes, e criar alguns caldos mais “personalizados” para suas receitas preferidas.
  • Sobras de caldo: Congele em potes plásticos de 1/2 litro para uso posterior
    • O caldo congelado pode ser usado num risoto, ou até para “enriquecer” um simples arroz
  • Os legumes que sobram podem ser transformados num “dip”:
    • Coloque numa folha de alumínio e “asse” na churrasqueira até quase queimar;
    • Passe no liquidificador
    • Sirva em potinhos, como um paté para aperitivo
      • Para servir:
        • Pequenas fatias de pão “fritas” em azeite de oliva;
        • “Palitos” de cenoura, pepino japonês, aipo;
        • Biscoitos cream-cracker
        • Grissini
        • Etc… etc… etc…

Pisco

O Pisco é uma bebida destilada feita do suco de uva (obtido para fabricação de vinho). Chile e Peru disputam a “propriedade” do nome, e há tipos diferentes, dependendo do método de fabricação. O teor alcoólico varia de 30% a 43% (a cachaça, para comparação, varia de 38% a 54%, segundo o site do Inmetro).

Se quiser saber mais sobre a bebida, há artigos na Wikipedia – a edição em português é bem reduzida, mas em inglês e espanhol (geral e específico do Peru) há artigos mais completos. Não é uma bebida muito comum no Brasil – melhor procurar em lojas de importados ou na internet. Se tiver um amigo que vai ao Chile, fica mais fácil e mais em conta…

O “Pisco Sour” é uma bebida típica no Chile e Peru – algo como uma “caipirinha dos Andes”. A clara de ovo é um ingrediente que faz muitos torcer o nariz, por isso pode ser melhor fazer pouco na primeira vez, para não desperdiçar o “líquido precioso” se ninguém gostar.

No (sul do) Brasil temos a “Grappa“, ou “Graspa”, como é chamada em Caxias do Sul. É similar ao pisco, com a diferença que a Graspa é destilada do bagaço da uva, ao passo que o Pisco é feito do mosto (ou suco). Em Caxias do Sul, a graspa é muitas vezes adicionada ao café, para ajudar a suportar o inverno…