Minestrone

Ingredientes

  • 3 dentes de alho picado bem miúdo
  • 1 cebola média picada miúda
  • 1 cenoura cortada em rodelas
  • 1 alho-poró picado em pedaços médios (2 cm)
  • 1 batata grande cortada em cubos pequenos (1 cm)
  • 1 1/2 xícara de feijão vermelho cozido e batido no liquidificador
  • 50 g de bacon cortado em tiras (2 cm)
  • Azeite de oliva
  • ½ colher de chá de orégano
  • 1 folha de louro
  • 1/2 lata de tomate pelado bem picado
  • 1 litro de caldo de vegetais
  • 1/2 xícara de couve picada em pedaços médios (2 cm)
  • 1 xícara de macarrão (talharim, por exemplo) quebrado em pedaços
  • Salsa picada

Preparo

  • Frite o bacon em fogo médio com um pouco de azeite, até quase dourar
  • Adicione a cebola e frite até começar a ficar transparente
  • Adicione o alho e frite por mais uns dois minutos – cuidado para não queimar
  • Adicione a cenoura, alho-poró, orégano e louro e deixe cozinhar por alguns minutos, mexendo de vez em quando, até que os vegetais fiquem macios
  • Adicione a batata, feijão, tomate e caldo de vegetais
  • Baixe o fogo, tampe e deixe cozinhar até a batata ficar macia
  • Adicione a couve e o macarrão, acerte o sal
  • Deixe cozinhar até o macarrão ficar al dente
  • Salpique a salsa por cima e sirva

Dicas e Observações

  • O Minestrone, ou Minestra, é um prato italiano que (segundo a Wikipedia em inglês) surgiu mais de 200 anos antes de Cristo – se quiser saber mais, também pode ler os artigos da Wikipédia em português ou italiano (mais resumidos).
  • Esse é um prato único, e bem forte – excelente para um dia frio. Se você gosta de pimenta, o “casamento” é ótimo
  • Acompanhe com torradas e um tinto.
  • A característica principal do minestrone é ser uma sopa de vegetais, com massa e/ou cereais e pouquíssima carne – dentro desses “limites”, você pode adaptar segundo o gosto. A receita específica varia muito, dependendo da região – ou até da família. A receita acima foi adaptada dessa aqui, do Jamie Oliver.

Caldos

Quando se fala em caldo, muita gente pensa nas famosas “caixinhas” – mas o natural é muito melhor. Os ingredientes são todos naturais, sem aditivos – principalmente o famoso glutamato, que acrescenta um bocado de sódio à sua dieta. Além disso, você pode ajustar o gosto à sua preferência, e ainda pode guardar para usar quando necessário.

Ingredientes

  • 2 litros de água
  • 1 cenoura média a grande, picada em rodelas
  • 1 tomate picado em gomos
  • 3 ou 4 talos de aipo picado em tamanho médio
  • 3 dentes de alho (abrir no meio e remover o miolo)
  • 2 colheres de sopa de sal
  • Opcional: Temperos a gosto
    • Louro
    • Salsa
    • Coentro
    • Sálvia
    • Tomilho
  • 1/2 kg de “base” – conforme o tipo de caldo:
    • Carne: qualquer carne com osso (a mais barata – podem ser só “pelancas”)
    • Frango: pés, pescoço, etc. Apenas tome cuidado com miúdos (moela, fígado…) – muita gente não gosta…
    • Para caldo de legumes – obviamente – este item não é necessário.

Preparo

  • Cozinhar por 1 hora em fogo baixo (apenas o suficiente para manter borbulhando)
  • Remover filtrando com uma peneira

Dicas

  • Cuidado para não exagerar nos “temperos a gosto”
    • Se o caldo for utilizado em um prato que já tem esses (ou outros) temperos, pode haver “conflito” ou “sobrecarga”…
    • Talvez seja melhor fazer alguns testes, e criar alguns caldos mais “personalizados” para suas receitas preferidas.
  • Sobras de caldo: Congele em potes plásticos de 1/2 litro para uso posterior
    • O caldo congelado pode ser usado num risoto, ou até para “enriquecer” um simples arroz
  • Os legumes que sobram podem ser transformados num “dip”:
    • Coloque numa folha de alumínio e “asse” na churrasqueira até quase queimar;
    • Passe no liquidificador
    • Sirva em potinhos, como um paté para aperitivo
      • Para servir:
        • Pequenas fatias de pão “fritas” em azeite de oliva;
        • “Palitos” de cenoura, pepino japonês, aipo;
        • Biscoitos cream-cracker
        • Grissini
        • Etc… etc… etc…